Colégio Tema Novo

O BEABÁ DA SAÚDE INFANTIL

Veja dicas e práticas para garantir que as crianças cresçam saudáveis e com bem-estar emocional

Se perguntarmos aos pais e mães sobre as suas maiores expectativas em relação aos seus filhos, grande parte responderá que espera que as crianças sejam felizes e cresçam com saúde. Essa é a razão pela qual uma recente pesquisa feita pela Universidade de Michigan (EUA) revelou que, durante a pandemia, a falta de atividade física, dieta não saudável e questões relacionadas à saúde mental como o estresse, a ansiedade e a depressão figuraram entre as maiores preocupações dos pais com os pequenos.

Cada criança é única e não vem com um manual de instruções, mas boa parte do que está ao alcance dos pais para garantir o bem-estar físico e emocional dos filhos baseia-se no bom senso e em medidas simples, que podem e devem ser incorporadas ao dia a dia da família.

Preventivas, essas práticas aumentam (e muito) as chances de que as crianças cresçam saudáveis, longe de doenças. Para ajudar pais e responsáveis a cuidarem dos pequenos, VivaBem elaborou uma cartilha com 46 páginas, que traz informações e dicas importantes sobre alimentação, atividade física e saúde infantil.

1. Imunidade em dia

Por maior que seja o cuidado com a saúde geral dos pequenos, não dá para controlar o aparecimento de certas doenças, nem evitar infecções por alguns vírus (como o do resfriado) e o contato com bactérias. A boa notícia é que é possível colaborar com o sistema de defesa do corpo das crianças e reduzir o risco de problemas.

Para entender o sistema imunológico, imagine um conjunto de células, tecidos e órgãos que trabalham para defender o organismo de bactérias, vírus, fungos e parasitas causadores de doenças. Fortalecê-lo envolve a ação integrada de vários fatores como genética, alimentação, exercícios, controle do estresse, entre outros. Para que seu filho fortaleça suas defesas naturais, invista nas seguintes estratégias:

  • Amamentação

  • Higiene das mãos

  • Vacinação

  • Boas noites de sono

  • Alimentação saudável

    Outra boa providência é ter cuidado com o uso de antibióticos. Em alguns tipos de infecção, esse medicamento pode ser indicado pelo médico. É importante que você atenda às orientações dele quanto à forma de uso, a dose e o tempo de tratamento.

    O risco de medicar seu filho com esse tipo de fármaco, sem o devido acompanhamento do pediatra, é que você pode provocar a chamada resistência bacteriana, ou seja, quando a criança precisar usar o antibiótico de novo, a medicação não terá o efeito desejado.

    2. Dieta variada e saudável

    Em todas as idades, a regra é apostar em um cardápio variado e jamais descuidar da boa hidratação. Veja o que não pode faltar na alimentação dos pequenos:

    0 a 2 anos - Leite, preferencialmente o materno (na falta dele, as fórmulas infantis podem ser usadas, desde que adequadas a cada idade). A partir dos seis meses, deve ser iniciada a introdução dos alimentos sólidos, oferecendo aos poucos todos os tipos de legumes, frutas, ovo e carnes —nessa fase, itens ricos em ferro são essenciais. Evite que a criança consuma açúcar, sal e leite de vaca: o primeiro não deve ser ingerido nos primeiros 2 anos de vida; o segundo, durante todo o 1º ano. Já o leite de vaca deve ser evitado até o 1º ano de vida e, se possível, nos primeiros 24 meses.

    3 a 5 anos - Nesse período o crescimento acontece em picos e o apetite dos pequenos tem o mesmo ritmo. Não podem faltar cálcio e fibras. O primeiro colabora para a saúde óssea. Disponibilize leite e seus derivados (iogurte, queijos) ou alimentos enriquecidos. Já o segundo previne doenças do coração e ainda evita a constipação. Ofereça frutas, legumes, verduras, grãos integrais e leguminosas, além de carne, frango, peixe, ovo.

    6 a 7 anos - Na idade escolar, carboidratos refinados (açúcar, pães, biscoitos) e gordura devem ser consumidos com moderação. O excesso pode levar à obesidade e outras doenças. Para ter maior controle sobre o que os pequenos comem fora de casa, ensine-os a dar preferência a itens saudáveis (frutas, queijos, iogurte). E, claro, prepare a lancheira em casa.

    A boa nutrição na adolescência

    Nessa fase, a ordem é priorizar ao menos uma das refeições em família ao dia. Confira os nutrientes essenciais para os jovens:

    CÁLCIO
    Ele é mais importante do que nunca, dada a construção da massa óssea. Insista na oferta de leite e seus derivados, ou alimentos enriquecidos com ele.

    ZINCO
    Essencial para crescer e desenvolver funções biológicas, o mineral é encontrado na carne vermelha (boi, porco), no frango, no ovo, em frutos do mar, em castanhas, grãos integrais, soja, feijões e lentilha, grãos germinados (como a alfafa) e cereais fortificados. FERRO
    A sua deficiência está associada a alterações do desenvolvimento neuropsicomotor e o do sistema imunológico. Entre as meninas, ele ainda ajuda a repor o que se perde durante a menstruação. Invista em carnes vermelhas, aves e peixes, além de vegetais como couve, espinafre, feijão.

    PROTEÍNA
    Ela é essencial para a construção dos tecidos do corpo (unha, pele, cabelo), incluindo a formação de massa muscular. Está presente principalmente nos alimentos de origem animal (carne, frango, peixe, ovo, leite) e em vegetais como soja, grão-de-bico, lentilha, feijões.

    3. Atividade física

    Ela é definida como toda a prática que envolve movimentos corporais voluntários, com gasto de energia significativo e que promova interações sociais e com o ambiente. Não se limita aos esportes e inclui todas as atividades físicas que a criança faz, como caminhar em deslocamentos ou passeios, brincadeiras na escola e até tarefas da casa.

    O exercício físico é outro exemplo de atividade física. A diferença entre um e outro é que o primeiro é uma prática planejada, estruturada e repetitiva, com um fim determinado: melhorar ou manter as capacidades físicas, o peso adequado, além de ser orientado por profissionais de educação física.

    A melhor forma de estimular seu filho nesse sentido é promover atividades em que toda a família possa participar. Vale apresentar a ele seu esporte preferido, inventar jogos e sugerir que ele proponha as brincadeiras. Se estas forem ao ar livre, melhor ainda.

    Ideias para sair do sofá
    Desafios

    Quem chega primeiro, salto de obstáculo, amarelinha, pega-pega e esconde-esconde.

    Corpo em movimento
    Andar de bicicleta, nadar, correr percursos curtos, praticar esportes e artes marciais simplificadas, dançar e fazer atividades rítmicas.

    Atividades cooperativas
    Gincanas, vôlei infinito (sem pontuação). A criança deve experimentar e vivenciar esses jogos, sem se preocupar em ganhar ou perder.

  • Área Restrita
    Portal Professor

    A ESCOLA

    Quem somos
    Notícias
    Eventos
    Horários

    Colégio Tema Novo © Copyright 2021